Para quem pensa em seguir carreira na área de tecnologia da informação, aqui vai uma dica: busque conhecimentos em temas como Java, mobile, Big Data e Python. Segundo a empresa alocação de mão de obra Conquest One, que realiza um levantamento anual sobre oportunidades de trabalho, especialistas nessas áreas estarão em alta nos próximos meses.

“O mercado ainda sofre com a escassez desses profissionais”, justifica a companhia, sugerindo que pessoas também invistam em melhorar sua capacidade de falar inglês. “As empresas reconhecem o valor de um segundo idioma fluente no currículo, e sabem que podem perder negócios se não atenderem a essa necessidade”, ilustra.
A procura tende a seguir forte também por analistas de negócios e arquitetos de sistemas. De acordo com a organização, essa tendência vincula-se ao fato de que as companhias têm reformulado processos e retomado projetos, que ficaram estagnados nos últimos meses.
Analistas de infraestrutura é outro campo para olhar com cautela. A busca por esses profissionais se dará para suportar esforços de implementações e migrações. Além disso, aConquest One cita oportunidades consultores Microsoft e especialistas em segurança da informação como áreas quentes.
“Podemos esperar que 2016 seja um ano promissor, projetos adiados em 2015, por conta do clima de pessimismo com a crise política e macroeconômica, tendem a ser retomados”, afirma Marcelo Vianna, sócio-diretor da consultoria.
Embora impactado pelos problemas político econômicos do país, a TI é classificado como um segmento que não pode deixar de respirar, o mundo de hoje gira em torno de dados, controle, sistemas de gestão, performance, mobilidade etc.
Dados da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, mostram que o setor de TIC representa 9,2% do PIB brasileiro, e a projeção de crescimento chega aos 10,7% até 2022.
No último ano, de acordo com a Conquest One, o perfil com maior demanda de vagas foi o deanalista de suporte, com 19% dos fechamentos totais; seguido pelo de analista de produção, com 6,5%, e pelo cargo de líder técnico, chegando aos 5,9%. Segundo números do levantamento, a área que corresponde ao maior número de oportunidades fechadas é de infraestrutura de TI, com 29,5% das vagas.
Para o quesito ‘categorias’, a área de infraestrutura de TI foi a que mais contratou, com um total de 56,5% das vagas, sendo que a maioria foi para a posição de analistas de suporte; seguida pela área de desenvolvimento com 30%, e os cargos de gestão com 13,5%.
Fonte: http://www.cbsi.net.br/2016/05/contrata-se-veja-os-cargos-em-ti-que-estao-em-alta-nessa-crise.html 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *