A marca registrada de um organização de sucesso é a sua capacidade de aproveitar a criatividade e impulsionar os negócios para o território da inovação.

Sem crescimento e inovação, as empresas estagnam e acabam por desaparecer. Aqueles com poder de permanência dentro das estruturas organizacionais, dominam um fator intangível e muitas vezes negligenciado, que pode permitir concentrar-se no futuro com clareza: a empatia. 

Pode ser para você uma surpresa mas tenho clareza de que a capacidade de se conectar e se relacionar com os outros, a empatia em sua forma mais pura, é a força que leva as empresas adiante.

Embora o conceito de empatia possa contradizer o conceito moderno de um local de trabalho tradicional, competitivo, cruel e com os funcionários subindo uns nos outros para chegar ao topo, a realidade é que para os líderes empresariais terem sucesso, eles precisam não apenas ver ou ouvir a atividade em torno deles, mas também se relacionar com as pessoas que eles servem.

Os mais centrados nos processos lógicos podem pensar que obterão os resultados que desejam, perseguindo obstinadamente seus objetivos sem pensar muito em outras pessoas, ou em outros sucessos ao longo do caminho. Essa atitude funciona para alguns, mas muitas vezes e mais do que imaginamos, precisamos confiar em relacionamentos e estabelecer conexões pessoais e profissionais. Relações resultantes de um interesse honesto e dedicado nos outros e em seus propósitos.

Pessoas de sucesso não operam sozinhas. Cada um de nós precisa do apoio de outras pessoas para alcançar resultados positivos que nos impulsionam em direção aos nossos objetivos. A verdadeira empatia combina a compreensão do raciocínio emocional e lógico para a tomada de decisão.

A empatia é a força motriz por trás da comunicação empresarial. Infelizmente, tenho visto muitas situações em que as pessoas falam umas com as outras, em vez de fazer um esforço conjunto para ouvir e descobrir oportunidades de colaboração. O catalisador da mudança é a comunicação aberta e de mão dupla. Quando as pessoas conseguem sair de seus escritórios e mentalidades e experimentam vulnerabilidade, elas realmente começam a sentir o que as pessoas ao seu redor estão sentindo.

Empatia é combustível para Inovação e criatividade

 Ao tentar enfatizar a importância de focar nos outros e desenvolver maior empatia, cresce igualmente a capacidade criativa.

A criatividade é uma habilidade crítica para o trabalho, mas é aparentemente um recurso cada vez mais escasso nas organizações tradicionais. Segundo estudos, 61% dos líderes não acreditam que suas empresas sejam suficientemente criativas. Além disso, em um estudo recente, 77% das pessoas afirmam acreditar que a criatividade é uma habilidade crítica para o trabalho no século 21.

Então pensa comigo, se não temos empatia nos relacionamentos profissionais e intrapessoais nas organizações não teremos igualmente campo propicio para a obtenção da criatividade e por sua vez seremos menos inovadores.

Empatia significa entender o que é importante para as pessoas e entender suas lutas.Grandes inovações começam com um foco nas pessoas e no entendimento de suas necessidades, condições e desafios. 

Será que não é o momento de investirmos em ver e ouvir o outro, que faz parte da minha equipe, que faz parte do meu negocio e que pode ser o grande aliado no meu sucesso pessoal e profissional?

Considere rever seu processo de comunicação no trabalho e passe a entender melhor as suas necessidades e desafios dos seus pares, lideres e liderados.

Que tal começarmos pela comunicação empatia?

A comunicação empática pode ser um primeiro caminho para construirmos um ambiente criativo e inovador em nossas organizações para se fazer entender, cumprir os objetivos acordados e manter-se conectado com pontes entre as áreas da organização.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Inspire-se por metodologias e design, em que o humano é o centro da inovação, e o resultado encontrado é o entendimento da experiência do usuário. A empatia é a ferramenta primordial para ouvir sem julgamento e entender as dores que o usuário está experimentando e por sua vez descobrir o real problema que estão tentando resolver.

O autor do livro Comunicação Não Violenta, Marshall Rosenberg, livro que recomento fortemente, sugere 4 ações, relativamente simples que em conjunto facilitam a comunicação e conexão das pessoas por empatia, são elas:

Observar – Observe o desafio e as pessoas envolvidas sem julgamentos ou avaliação.

Sentir – Sinta o ambiente e as necessidades das pessoas e identifique-se com os medos e dores do seu receptor.

Entender- Entenda as necessidades dos envolvidos com clareza traduzindo em ações concretas.

Pedir – Saiba avaliar e pedir com clareza as informações e ações necessárias para a execução do trabalho.

Esta combinação em prática pode ser um forte aliado na construção e obtenção de relações profissionais empáticas e sadias. Pode ser a sua porta de entrada na empatia e para revemos nossas crenças e nos permitir novas idéias.

Acredito que a criação focada no relacionamento expande a capacidade e potencializa a inovação valorosa. A empatia pode ser uma habilidade empresarial que realmente gera frutos de sucesso quando praticada e compartilhada. Embora possa ser diferente de qualquer outra prática que você já tenha usado em seu negócio, a empatia no local de trabalho cria e estimula a comunhão de ideias sem receio do ridículo. Se quisermos manter nossos negócios relevantes e nossos consumidores felizes, devemos abraçar a empatia e deixar que seja a força que nos impulsiona.

Esse é o poder da empatia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *