Como os Meetups podem Beneficiar os Times de Tecnologia

Reuniões informais geram troca de experiências, Networking e fomento da inovação

Houve um tempo em que eventos corporativos eram marcados pela monotonia. Mas esta concepção está sendo rapidamente deixada de lado nos últimos anos. A nova realidade apresenta convenções nas quais propostas e inovações são compartilhadas em ambientes muito mais agradáveis e dinâmicos.

Meetup é um conceito que designa reuniões informais e descontraídas com o propósito de discutir negócios de uma forma atrativa e sem padrões estabelecidos. É um espaço onde pessoas com interesses semelhantes se encontram para comer, beber e conversar, enquanto trocam conhecimento, compartilham boas práticas, fazem networking, discutem insights, apresentam produtos e expõem cases de sucesso.

O termo surgiu nos EUA, mais especificamente no Vale do Silício. Aos poucos, se espalhou rapidamente pelo mundo, por transformar convenções de setores em momentos muito mais divertidos e eficientes para seus participantes. Os encontros são oportunidades espontâneas para se reunir especialistas dispostos a discutir as tendências de mercado, independentemente da área.

Não há solenidades, cerimoniais, grandes falas unilaterais e tantas outras marcas de simpósios, convenções, colóquios e demais eventos corporativos. Nada é conduzido, o que gera relações profissionais muito mais sinceras e eficientes, marcadas pela espontaneidade.

O ambiente informal que o caracteriza torna esse tipo de evento cada vez mais popular e atrai constantemente novos participantes em busca de ampliar suas redes de contato e aprender um pouco mais sobre o setor no qual atuam.

Meetups e equipes de tecnologia

Embora a prática dos encontros informais possa englobar todos os tipos de segmentos, é o ramo de produção de tecnologia que mais vê benefícios no uso desta plataforma. Acredita-se que aproximadamente metade dos meetups realizados a nível global tenham caráter exclusivo de abordagem tecnológica.

Isso acontece pois tais eventos carregam uma série de fatores capazes de fomentar o espírito de inovação intrínseco ao desenvolvimento de novos componentes de high-tech. É cada vez mais comum ver gestores de médias e grandes empresas presentes nos encontros, em busca de novas ideias e formas de ampliação em seu repertório de atuação frente ao mercado.

No entanto, com o passar do tempo, esses administradores viram benefícios ainda maiores nesse tipo de prática. Os encontros informais tornaram-se uma oportunidade de capacitar também os seus próprios colaboradores da área de TI. Os encontros são estratégias de se obter upgrade de conhecimentos.

Por isso, muitos líderes ganharam o hábito de não só inscrever sua equipe de TI para participar de meetups, mas também propor grandes incentivos para que tais funcionários se dediquem ao máximo a esses encontros.

Para a concepção do profissional, a participação também é vista como altamente positiva, pois se trata de uma inusitada e, ao mesmo tempo, proveitosa oportunidade de crescimento na carreira. Sem falar que a curiosidade e a busca constante pela inovação faz parte da característica natural do profissional de TI. O resultado deste tipo de engajamento é uma equipe muito mais disposta a trabalhar e atualizada com as tendências de mercado.

A importância do networking no setor de TI

Um dos motivos de meetups serem dominados por pautas tecnológicas é a capacidade que possuem de aumentar consideravelmente a rede de contatos de seus frequentadores. Afinal, poucas áreas precisam tanto da capacitação e modernização diária na execução de processos e desenvolvimento de novas ideias quanto o setor de TI.

Ninguém se atualiza sozinho. Além de pesquisas, a tecnologia exige o contato diário com o próximo. É preciso conversar, ouvir experiências e descobrir novas realidades. Nestes eventos, é possível encontrar, de uma só vez, clientes, fornecedores, mentores, investidores, pesquisadores, concorrentes e várias outras fundamentais parcelas de público dispostas a contribuir com o sucesso de um negócio. A ausência de regras e formalidades transforma esta experiência em um atrativo ilimitado de novas práticas e atuações.

Entenda melhor outras vantagens geradas pela presença de gestores e de profissionais de TI em meetups:

1- Possibilidade de investir e atrair investidores

É comum que administradores de médias e grandes empresas tenham duas preocupações recorrentes ao realizar projetos de criação tecnológica. A primeira é a necessidade de atrair investimentos para colocar em prática ideias onerosas. A segunda hipótese é a disposição de investir em protótipos de grande potencial de lucro. Os dois casos podem ser resolvidos em um meetup, onde há, concomitantemente, grandes investidores e pessoas expondo seus trabalhos em busca de investimento.

2- Descoberta de potenciais sócios e parceiros

Por maior que seja o porte de uma empresa, é sempre possível montar parcerias no ramo tecnológico que sejam positivas para ambos os envolvidos. Meetups são oportunidades de encontrar pessoas com ideias parecidas de negócio. Co-fundadores, associados em projetos, profissionais especializados, visionários e vários outros perfis de pessoas capazes de agregar de alguma maneira com um negócio podem ser encontradas nesse tipo de reunião informal.

3- Aumento da visibilidade

De nada adianta elaborar um grande produto tecnológico, seja um software, aplicativo ou dispositivo, se ninguém vai conhecê-lo. Popularizar a imagem da criação exige uma apresentação inicial a um público selecionado. Ao representar uma empresa em um meetup, o produto desenvolvido e a marca representada encontram automaticamente um ótimo canal de visibilidade. O melhor de tudo é que esta exposição já é seletiva, pois se dá junto a um nicho de pessoas interessadas em se relacionar de alguma forma com o que está sendo oferecido.

4- Contato com novas tecnologias

No mundo altamente tecnológico como o atual, é impossível que alguém conheça todas as ferramentas disponíveis no mercado de TI. Tudo se modifica diariamente com o desenvolvimento de infinitos novos dispositivos e sistemas. Em um meetup, há uma infinidade de novas opções tecnológicas colocadas em pauta, que podem surpreender até mesmo os especialistas em inovação.

5- Troca de experiências

Em um mercado tão rico, sempre haverá alguém com mais conhecimentos e vivência determinados ramos. Por isso, participar de um encontro de pessoas com os mais plurais saberes gera um ganho de conhecimento mútuo entre os presentes, no qual cada um ensina e aprende um pouco sobre o que mais de interessante foi aplicado em suas próprias corporações.

6- Interação com novos clientes

Todos os produtos ou serviços possuem o objetivo de ser vendidos. Os meetups levam grandes quantidades de potenciais clientes a conhecer aqueles produtos específicos. O clima de informalidade do ambiente proporciona que a apresentação do produto se dê de uma forma muito mais natural do que uma eventual publicidade, por exemplo. Esse caráter de ausência de artificialidade no processo favorece a proximidade dos eventuais consumidores com a marca.

7- Aumento do feedback de usuários

Descobrir o que os clientes pensam do serviço ou mercadoria oferecida é essencial para corrigir falhas e promover o desenvolvimento de um produto. Meetups oferecem a oportunidade de clientes interagirem espontaneamente com as marcas, em avaliações sinceras de seus produtos. Este fato dá margens para que as críticas, sugestões e elogios sejam levados em conta no desenvolvimento de novas ideias no futuro.

Depois de ler este artigo, ficou mais fácil perceber os benefícios destes encontros informais tanto para você, gestor, quanto para a sua equipe de TI, não é mesmo? Você já tem frequentado eventos desta natureza? Não se esqueça de contar suas experiências e a dos seus colaboradores nos comentários.

 

Fonte: https://blog.algartelecom.com.br/gestao/como-os-meetups-podem-beneficiar-times-de-tecnologia/

 

Como utilizar as ferramentas de Inteligência Artificial disponíveis atualmente?

Como utilizar as ferramentas de Inteligência Artificial disponíveis atualmente

A sofisticação das ferramentas digitais e a enorme quantidade de informações às quais se tem acesso atualmente foram responsáveis por popularizar a expressão “inteligência artificial” (IA). Para muitos, porém, ainda não está claro o que IA realmente significativa e quais são as possibilidades que se abrem quando o recurso passa a ser utilizado em larga escala.

De início, IA pode ser definida como a capacidade de uma máquina reconhecer elementos como imagens, palavras e fala. Acontece que os avanços tecnológicos permitiram alcançar um grau de desenvolvimento tão elevado que o outro lado da IA é a possibilidade de que uma máquina aprenda e passe a raciocinar de formas muito similares às das pessoas.

Um teclado.

Mas, se a IA permite que as máquinas aprendam diversos processos, como os mencionados acima, não é exatamente uma novidade, correto? Em parte, sim. Já faz algum tempo que o recurso está disponível, mas o campo tem crescido significativamente nos últimos anos. Isso se deve a três fatores que estão acontecendo ao mesmo tempo: a potência massiva de computação da nuvem, a disponibilidade de enormes conjuntos de dados que podem ser usados para treinar sistemas de IA e as inovações no desenvolvimento de algoritmos e métodos de IA.

A essa altura, já deve ter dado para perceber que as possibilidades oferecidas pela IA são inúmeras. Nesse sentido, a Microsoft leva vantagem em cada um dos fatores que resultaram na disseminação da IA nos últimos anos, presentes em diversos produtos da empresa. Com o Azure, ela aproveita o imenso poder de computação da nuvem para armazenar, processar e analisar grandes conjuntos de dados que são usados para treinar sistemas de IA.

Já os gráficos de dados de serviços como Bing, Office e LinkedIn ajudam a desenvolver e treinar sistemas de IA. Por fim, a Microsoft implementa diversas inovações em IA através de sua rede mundial de laboratórios de pesquisa, trazendo novidades em áreas desde o reconhecimento de fala até tratamentos de saúde.

Um gráfico.

Quais vantagens a IA pode gerar para as pessoas?

Uma das principais possibilidades oferecidas pela IA é poupar o tempo das pessoas e liberá-las para trabalhos mais interessantes, ajudando com tarefas como manter o controle de compromissos ou com a automatização de alguns processos para rastrear bugs em softwares.

À medida que os sistemas de IA se tornarem mais sofisticados, a tendência é que a tecnologia também seja fundamentalmente mais útil e intuitiva. Atualmente, ainda estamos nos estágios iniciais de compreender o que os sistemas de IA serão capazes de fazer. Por enquanto, eles são muito bons em realizar certas atividades, como reconhecer fotos ou palavras, mas não se comparam sequer à capacidade de um bebê no que diz respeito a entender o mundo ao seu redor com uma combinação de sentidos como o tato, a visão, a audição e o olfato.

A grande diferença da IA para o cenário em que ela não é utilizada é que a tecnologia pode aprender a se adaptar a como as pessoas querem trabalhar e viver. Em vez de digitar um email no telefone, por exemplo, é possível ditá-lo usando o reconhecimento de fala. Com a IA, pessoas cegas ou com visão fraca podem usar tecnologia capacitada por IA para obter uma explicação detalhada do mundo ao seu redor.

Os sistemas de IA podem traduzir conversas em tempo real, permitindo que as pessoas superem barreiras linguísticas facilmente. Em suma, sistemas que usam IA podem entender melhor, prever e responder às necessidades das pessoas. Isso ajuda a abordar problemas que não poderiam ser resolvidos antes, além de liberar tempo para que o usuário desempenhe tarefas mais complexas.

Um celular.

Como utilizar as ferramentas de IA disponíveis atualmente?

A Microsoft tem utilizado IA para tudo, oferecendo recursos muito avançados no que diz respeito à qualidade de seus serviços. A empresa combate golpes de suporte técnico por meio de IA, mas também a usa para ajudar os usuários a criar apresentações melhores no PowerPoint.

A IA ainda está presente no Microsoft Translator, que lança mão de uma técnica chamada de aprendizado profundo para oferecer traduções mais fluentes e que soem mais naturais. Já no Bing, a IA apresenta respostas diretas para determinadas consultas e pode até, em alguns casos, resumir duas perspectivas diferentes sobre um tópico controverso.

Outras aplicações da IA por parte da Microsoft estão diretamente atreladas à preocupação quanto a preservar o meio ambiente. Parte da iniciativa AI for Good, pertencente à empresa, emprega a tecnologia para descobrir como cultivar mais alimentos utilizando menos recursos naturais. Já para quem estiver interessado em incorporar a IA a seus produtos, a Microsoft oferece ferramentas como Cognitive Services e Azure Bot Service.

Um computador.

Há riscos na utilização de IA?

A Microsoft defende que é essencial desenvolver e adotar princípios claros para guiar as pessoas construindo, usando e aplicando sistemas de IA. Tais princípios deveriam, entre outras coisas, garantir que os sistemas de IA sejam justos, confiáveis, seguros, privados, protegidos, inclusivos, transparentes e responsabilizáveis. A empresa também acredita que as equipes de pessoas encarregadas por projetar os sistemas de IA devem refletir a diversidade do mundo atual.

A abordagem da Microsoft à IA é baseada na missão da empresa de ajudar todas as pessoas e organizações do planeta a realizar mais. Assim, ela considera que os avanços em IA mais resolverão desafios do que os criarão.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/mercado/131763-para-serve-inteligencia-artificial-vantagens-riscos.htm

 

10 maneiras de melhorar o desempenho da TI

Gestores de TI realmente empenhados em potencializar os resultados de sua equipe devem considerar seriamente cada um desses pontos.

Todo líder de TI procura desempenho. Ter um departamento mais rápido e eficiente. Afinal, quando a TI supera a performance, cala os críticos e ganha protagonismo nos processos de inovação.

Já um departamento de TI sem graça limita a capacidade de uma empresa atender as demandas do mercado em mudança, prolonga o tempo necessário para desenvolver e lançar novos produtos e serviços e, em última análise, degrada a satisfação do cliente.

Felizmente, a melhora no desempenho não tem que vir ao custo do moral dos funcionários. Na verdade, os membros de uma equipe motivada podem desempenhar um papel importante em estimular um departamento de TI sonolento. “Se você quiser melhorar o desempenho de TI, esteja envolvido”, aconselha Mike Guggemos, CIO da Insight.

1. Comunicar objetivos

Manter os membros da equipe de TI no escuro é um passo certo para o fracasso. “É importante que você comunique a cada membro da equipe o estado do negócio e como o trabalho que estão fazendo contribui para mover a bola para frente em relação aos objetivos gerais da empresa”, diz Mike Duensing, CTO da Skuid. “Eles precisam sentir que estão desempenhando um papel relevante para o sucesso da empresa”.

Os líderes de TI podem começar a motivar os membros da equipe apenas por serem honestos. Muitos líderes de TI se esforçam para fazer apresentações repletas de analogias e tabelas quando, na verdade, tudo o que eles precisam fazer é explicar o que está acontecendo na empresa e mostrar claramente por que o projeto é importante, explica Guggemos. “Mostre como essa atividade se encaixa nos objetivos e na estratégia”.

Estabelecer metas individuais trimestrais, pelo menos, e depois revisá-las individualmente, também é importante. “Para garantir que os  membros da equipe estejam continuamente melhorando e engajados, os objetivos devem incluir treinamento e outras formas de desenvolvimento de habilidades – técnicas e / ou negócios”, aconselha a Duensing.

2. Dê à sua equipe as ferramentas de que ela precisa para ter sucesso

O equipamento de uma equipe de TI com software e equipamentos inadequados e/ou desatualizados é garantido para levar a um desempenho fraco. Forçar os membros da equipe a desperdiçar seu tempo em tarefas monótonas e facilmente automatizadas também prejudica o sucesso no longo prazo.

“Ferramentas de automação, como ferramentas de implantação contínua, ajudam a manter a equipe trabalhando em tarefas repetitivas mundanas”, observa David R. Lee, diretor de operações da Kastling Group. Ele recomenda que os líderes de TI considerem usar ferramentas como Jenkins, Bamboo e Team City.

Guggemos observa que nunca foi tão fácil automatizar as operações de TI. “Há uma série de ferramentas de monitoramento e medição que você pode usar hoje – centenas!” ele exclama. “A principal coisa a ter em mente é que a maior parte da tecnologia moderna construída nos últimos cinco ou mais anos tem peças construídas para monitoramento, gerenciamento e, em alguns casos, para autocorreção”.

3. Fique atento aos níveis de desempenho

Os principais indicadores de desempenho (KPIs) são cruciais para monitorar o desempenho geral de TI. Muitos departamentos de TI, no entanto, se concentram nos indicadores errados. “Selecione indicadores de desempenho sobre o que é importante para o negócio e não apenas sobre a TI”, sugere Mark Thomas, presidente da Escoute Consulting.

Thomas prefere aderir a fatores críticos de sucesso que estão ligados aos objetivos gerais da empresa, bem como às necessidades dos interessados. Ele sente que a abordagem garante que as ferramentas de medição sejam bem focadas na coleta, análise, geração de relatórios e resposta a sinais vitais específicos. “Muitos desses KPIs também podem ser usados ​​como indicadores chave de risco (KRIs) que podem alertar aos gestores de TI sobre riscos emergentes que podem ter um efeito negativo na satisfação das necessidades das partes interessadas”, observa Thomas.

4. Monitore sinais de burnout

O trabalho duro é excelente. O trabalho excessivo convida à frustração, aos erros e à queda da produtividade. Lee acredita que a melhor abordagem para enfrentar o desgaste é garantir que nunca aconteça. “Para evitar o desgaste da equipe, é necessário que haja semanas fáceis incorporadas na programação de cada membro”, diz ele.

Mike Orosz, diretor sênior da Citrix, avança um pouco mais. “Dê uma volta com colegas, almocem juntos, pare para um café rápido”, aconselha. “Esses cortes simples podem promover um ambiente de equipe colaborativo muito mais próximo que impactará positivamente o desempenho”.

Planos e horários realistas para projetos também desempenham um papel importante na prevenção do desgaste da equipe. “Muitas vezes, equipes recebem projetos de curto prazo, sem orçamentados e ferramental, e sem consideração pelo que eles já possuem em suas carteiras para entregar”, explica Guggemos. “Esta é uma das maiores falhas na liderança de TI – e ocorre o tempo todo”.

5. Mantenha os membros da equipe envolvidos e satisfeitos enquanto perseguem metas de desempenho

Um dos segredos mais bem guardados do gerenciamento da TI é a arte de gerenciar os objetivos em cascata. “Esta técnica não é nova, mas é um princípio fundamental de governança e gerenciamento de desempenho de uma organização”, observa Thomas.

O método de objetivos em cascata é basicamente um método de desconstrução e tradução de metas de um nível de organização para outra. É tarefa do gerente descrever as contribuições que os membros de sua equipe podem fazer para entregar os resultados até o próximo nível. “Isso permite que cada pessoa reconheça o valor das conquistas de metas e como suas contribuições afetam a realização de benefícios”, observa Thomas.

6. Resista à tentação de microgestão

Como os pais com uma criança que aprende a andar de bicicleta, é quase impossível que muitos líderes de TI “deixem de lado” e permitam que sua equipe erre e caia à medida que aprende a ser autogerida e capacitada.

“Os líderes de TI dirão que abraçam o empoderamento, mas a primeira vez que algo corre mal, eles agarram as rédeas e retornam às suas maneiras de microgerir”, explica Alan Zucker, diretor da Project Management Essentials. “É uma reação comum, mas se eles querem criar uma nova cultura, eles devem demonstrar sua capacidade de cumprir as mudanças”.

“Os fundamentos são importantes”, acrescenta Guggemos. “As equipes de liderança e gerenciamento devem ser envolvidas nos projetos, mas é crítico fazê-lo com um toque suave”.

7. Encoraje os membros da equipe a expandir e aprofundar seus conhecimentos

Um líder de TI bem sucedido motiva os membros da equipe oferecendo oportunidades de desenvolvimento de habilidades. “Dar aos membros da equipe a oportunidade de participar de conferências e eventos profissionais não só irá expô-los a novas ideias e tecnologias, mas rompe sua rotina, melhorando o moral, em última análise”, explica Orosz.

 

8. Considere novas abordagens e métodos

O maior impulso ao desempenho da TI foi a chegada das metodologias ágias e do DevOps, que ajudam a aproximar as áreas das empresas e as equipes de TI, observa Chris Fielding, CIO da Sungard Availability Services. “Isso dá mais importância à equipe de negócios na prioridade e direção da entrega, muitas vezes levando a soluções mais simples que melhor se alinham com os processos de negócios e são muito mais fáceis de implementar”.

“As organizações precisam parar de pensar sobre o trabalho como uma máquina que você pode otimizar puxando algumas alavancas”, afirma Dave West, CEO da Scrum.org. “Em vez disso, pense de forma holística sobre o ambiente que as equipes trabalham e como a visão desse trabalho pode ser melhor comunicada”.

9. Utilize técnicas de gerenciamento modernas

Muitos líderes de TI são empurrados para seus papéis exclusivamente com base em seus conhecimentos tecnológicos, recebendo apenas treinamentos de gerenciamento limitado. “Eles tendem a seguir o Gerenciamento 1.0 ou talvez as práticas do Management 2.0”, diz Zucker. “Eles pensam em sua equipe como widgets de recursos (1.0) ou que os processos de gerenciamento (2.0), como feedback 360, são a solução”.

A Gestão 3.0, por outro lado, reconhece a complexidade do ambiente operacional atual e o poder de indivíduos motivados e motivados para resolver problemas. “Aceitar o Gerenciamento 3.0 e realmente implementá-lo requer uma grande confiança e coragem da administração e dos líderes”, observa Zucker.

10. Procure opiniões externas de consultores confiáveis

Os líderes de TI são muitas vezes tão próximos dos problemas de tecnologia que não conseguem ver ou apreciar a totalidade do impacto do departamento em outras áreas de negócios. “Ter olhos externos possam ajudar a reconhecer esses efeitos, além de oferecer informações poderosas sobre tendências e ferramentas do setor que possam ser efetivas para ajudar a melhorar o gerenciamento de desempenho, ajuda muito”, diz Thomas.

“Às vezes, é bom buscar conselho e apoio externo da mesma forma que um treinador ajuda um atleta a olhar para o desempenho de uma maneira diferente”, acrescenta West. Mas um treinador não faz. Apenas, na melhor das hipóteses, pode fornecer informações interessantes sobre as práticas de trabalho de uma organização. “Somente as pessoas que compõem a organização podem criar mudanças”, lembra ele.

O desvio

É fácil acreditar que, ao comunicar uma visão, analisar métricas claras e capacitar equipes, um departamento de TI começará imediatamente a funcionar com a máxima produtividade. Mas há mais do que isso. Construir uma equipe de alto desempenho exige paciência e persistência.

“A equipe de TI pode começar a mudar organicamente”, diz Zucker. Quando o menor passo em direção ao empoderamento e autogestão é dado, eles podem abraçar a oportunidade. “Eles também podem reconhecer que seus líderes estão tentando mudar o meio ambiente e seguir com entusiasmo a liderança em vez de serem céticos”, conclui.

Fonte: http://cio.com.br/gestao/2018/02/26/10-maneiras-de-melhorar-o-desempenho-da-ti/

Desenvolvedores Java e mobile são perfis mais escassos em TI

Conclusão é da Conquest One, que fez balanço sobre empregos no setor em 2016

Conquest One, empresa brasileira especialista em staffing de TI, divulgou os resultados de sua pesquisa anual sobre oportunidades do mercado de trabalho em Tecnologia da Informação (TI), considerando vagas trabalhadas pela companhia em 2016. Uma das conclusões é que dois perfis continuam que escassos no mercado são de desenvolvedores Java e desenvolvedores mobile – o primeiro por exigir alta qualificação técnica, e o segundo, por um número baixo de profissionais no mercado. Continue reading “Desenvolvedores Java e mobile são perfis mais escassos em TI”

Desenvolvedores responderam por 53% das vagas de TI fechadas no país em 2016

A Conquest One, empresa brasileira especialista em staffing de TI, divulgou sua pesquisa anual sobre as oportunidades do mercado de trabalho em Tecnologia da Informação no Brasil, levando em consideração os dez cargos com maior número de contratações efetivadas no país em 2016. É interessante notar que 62% das vagas são para analistas e 53% delas na categoria desenvolvimento. Continue reading “Desenvolvedores responderam por 53% das vagas de TI fechadas no país em 2016”

Quais são as tendências de carreira de TI?

Basta uma pesquisa rápida em sites de oportunidades profissionais para constatar que o mercado de tecnologia da informação se sobressai como um dos mais promissores. E são duas as regras de ouro para ser bem-sucedido nesta profissão: acompanhar a evolução das tecnologias e qualificar-se para atender às necessidades das organizações. Pensando nisso, elencamos a seguir as principais tendências a que os profissionais da área devem estar atentos para se manterem competitivos no mercado. Confira! Continue reading “Quais são as tendências de carreira de TI?”

Como preparar um currículo para área de tecnologia

A área de tecnologia tem suas especificidades e algumas informações não podem faltar no currículo, segundo Antonio Loureiro, sócio-fundador da Conquest One. Confira o que ele diz em mais um dos vídeos de carreira. Continue reading “Como preparar um currículo para área de tecnologia”