Conheça a sociedade 5.0 e como o Profissional de TI estará inserido nela

Sociedade 5.0

O avanço da tecnologia nos trouxe para o que podemos chamar de sociedade 5.0. Ou seja, uma sociedade inteligente que vai além da revolução 4.0, também conhecida como era da informação.

Para ser mais claro, a sociedade 5.0 une tecnologias, como big data, inteligência artificial e robôs em todos os segmentos sociais. A esperança dessa nova era, portanto, é que essas novas tecnologias sejam capazes de resolver problemas que tornam a vida cotidiana mais confortável e sustentável.

Resumidamente, a essência dessa sociedade inteligente será obter rapidamente a solução mais adequada e que atenda às necessidades de cada cidadão. Ficou interessado? Leia o nosso artigo até o final para entender melhor o conceito, como ele surgiu e como os profissionais de TI deverão se adaptar a essa nova realidade.

Sociedade 5.0: o que é?

A sociedade 5.0 tem o mesmo conceito das Smart Cities. Ou seja, esse conceito é utilizado para definir como a tecnologia da informação deverá desenvolver, implantar e promover práticas sustentáveis que buscam enfrentar os crescentes desafios da globalização.

Portanto, consiste em uma estrutura essencialmente formada por redes inteligentes e máquinas que transmitem e usam dados usando a tecnologia para resolver problemas das grandes cidades.

Na Sociedade 5.0, os aplicativos e ferramentas baseados na nuvem recebem, analisam e gerenciam um grande volume de dados em tempo real para ajudar municípios, empresas e cidadãos a tomar melhores decisões, melhorando assim a qualidade de vida.

Os cidadãos, por sua vez, se envolvem com os ecossistemas das smart cities de várias maneiras. E isso inclui o uso de smartphones e dispositivos móveis, além de carros e residências conectados, por exemplo.

Assim, o emparelhamento de dispositivos e dados com a infraestrutura e os serviços físicos de uma cidade tende a reduzir custos e melhorar a sustentabilidade da cidade.

Por exemplo: as comunidades podem melhorar a distribuição de energia, otimizar a coleta de lixo, diminuir o congestionamento do tráfego e até melhorar a qualidade do ar com a ajuda da internet das coisas (IoT).Enfim, as possibilidades são enormes.

Como o conceito de Sociedade 5.0 surgiu?

A urbanização é um fenômeno sem fim. Hoje, 54% das pessoas em todo o mundo vivem nas cidades. E esse número deve chegar a 66% até 2050. Assim sendo, combinada com o crescimento geral da população, a previsão é que a urbanização adicionará outros 2,2 bilhões de pessoas às cidades nas próximas três décadas.

Diante desse cenário, a sustentabilidade ambiental, social e econômica é essencial para acompanhar a rápida expansão que está sobrecarregando os recursos de todo o mundo.

À medida que a população aumenta, vários países vêem a sustentabilidade ambiental, social e econômica como uma necessidade para acompanhar o crescimento. O reflexo disso é que quase 200 países dizem que a tecnologia da sociedade 5.0 é fundamental para o sucesso.

Esse conceito nasceu no Japão em 2016, durante o lançamento do 5º Plano Básico de Ciência e Tecnologia. Esse documento define políticas de inovação a serem estimuladas pelo país até 2021.

No entanto, apenas na CeBIT 2017, a feira de negócios digitais realizadas na Alemanha, que ele foi divulgado de maneira oficial.

O objetivo da Sociedade 5.0

O objetivo da sociedade 5.0 é gerar sustentabilidade por meio de soluções inovadoras para os principais problemas que enfrentamos nas grandes cidades, incluindo congestionamento de automóveis e uso de energia, por exemplo.

Assim, os objetivos das smart cities estão focados em melhorar a harmonia da população, bem como evitar falta de recursos.

O reconhecimento do termo sociedade 5.0 também vem engajando os cidadãos a entender os problemas que devem ser abordados diante de uma urbanização massiva a nível mundial.

Resumidamente, a meta é criar cidades inteligentes por meio de tecnologias avançadas que ajudarão na solução de alguns problemas futuros. Dessa forma, a sociedade 5.0 busca garantir o atendimento das necessidades e anseios das grandes cidades.

Como será o profissional de TI da Sociedade 5.0

A sociedade 5.0 irá mudar o cenário da população como um todo. Nesse sentido, a indústria também deverá passar por uma revolução. A fim de atender as necessidades dessas novas cidades inteligentes, tecnologias, como a inteligência artificial, por exemplo, devem ser aliadas dos profissionais.

Enfim, tudo o que foi buscado na era da informação deverá ser colocado em prática a partir de agora.

Para os profissionais de TI, novas oportunidades vão surgir. Entretanto, isso ocorrerá apenas para aqueles que se reinventarem, visto que conhecimentos antigos irão, aos poucos, perder espaço no mercado.

Em uma sociedade, na qual a liquidez é cada vez mais presente, o profissional de TI terá que estar aberto a mais aprendizados. Afinal, as cidades inteligentes vão exigir criatividade uma vez que tarefas mais simples começarão a ser substituídas por robôs.

Resumidamente, você como profissional da tecnologia da informação precisará se reinventar em um cotidiano em que o tempo é cada dia mais escasso. Ou seja, aprender não significa apenas conhecer conceitos teóricos. Se expor a desafios, tomadas de decisões e atividades práticas em geral será muito mais proveitoso para todos.

E você, deseja saber mais a respeito desse assunto e quer conhecer como a Conquest One pode te ajudar? Entre em contato conosco e agende uma reunião.

Como fazer Networking e utilizá-lo para o desenvolvimento profissional em TI

Networking

O ditado “ninguém é uma ilha” é tão real quanto antigo.  Afinal, poucas pessoas vivem unicamente para si, adquirindo conhecimento sozinhas e construindo qualquer projeto exclusivamente do próprio intelecto.

Assim, ter uma rede de contatos relacionado ao ramo de atividade de atuação é fundamental para qualquer profissional. A competitividade é muito grande, principalmente no mercado de TI. E atualmente, toda essa competitividade requer mais que experiência, formação acadêmica e cursos na área.

Diante desse cenário, cultivar essa rede de contatos, também conhecida como Networking, é essencial para quem deseja obter as melhores oportunidades.

Sendo assim, este artigo vai explicar como o profissional de TI pode desenvolver o seu Networking da maneira correta e utilizá-lo para o crescimento em sua área. Confira!

Networking: o que é?

O Networking é uma atividade que tem o intuito de construir, reforçar e manter relações profissionais com outras pessoas para promover seus objetivos. Ou seja, o Networking é uma rede focada em objetivos profissionais, bem como em fortalecer amizades e aproveitar oportunidades de trabalho.

É importante salientar que uma parte muito importante do Networking profissional é que ele trata de construir relacionamentos de confiança, e não apenas no ato trocar cartões de visita, por exemplo. Ou seja, para que haja uma rede de sucesso, é necessário construir um relacionamento real.

Como o networking pode ser importante para o profissional de TI

Quando o profissional de TI se mantém conectado, ele encontra mais oportunidades de crescer profissionalmente, bem como aprimorar seus conhecimentos no setor no qual deseja desenvolver a sua carreira.

O Networking é uma relação na qual você também ajuda outras pessoas, seja trocando informações, conhecimentos e experiências, por exemplo. Além disso, fazendo Networking, o profissional de TI obtém informações atualizadas a respeito das últimas tendências que são relevantes para a sua carreira.

Outro aspecto importante é que a pessoa que mantém seu Networking e cria um bom relacionamento, consegue ter mais satisfação no próprio trabalho, melhorando os resultados da empresa. Consequentemente, é uma ótima ferramenta para se atingir os objetivos almejados na área de TI.

turnover

Suporte de pessoas do mesmo nicho de atuação

Muitas pessoas já passaram por alguns obstáculos no desenvolvimento de sua carreira, que podem ser resultados de vários fatores.

No entanto, o Networking lhe dará a chance de ter contatos com pessoas de alto perfil em sua carreira. Ou seja, elas poderão ser o suporte que você precisa, sempre que houver algum imprevisto.

A troca de experiências pode ajudá-lo a gerenciar seus desafios de maneira eficaz, dando-lhe conselhos ou direcionando ao suporte correto.

Melhora o status profissional

O desenvolvimento do status da carreira de um profissional de TI é um processo em longo prazo. Requer paciência, disciplina, foco e determinação.  Apesar desse tempo para se concretizar, um dos fatores que pode acelerá-lo é o Networking.

Diversos profissionais de sucesso, com altos cargos, se valeram desse tipo de relacionamento como um dos fatores para galgar altos cargos.

Os contatos que você mantém são significativamente atribuídos ao seu crescimento. Eles influenciam amplamente o crescimento do seu status e pavimentam o caminho para melhores oportunidades em sua carreira. Suas conexões são poderosas!

Como criar Networking de maneira efetiva

Vejamos então como colocar em prática alguns pontos do networking de maneira efetiva.

Participe de eventos e cultive os contatos certos

Para a sua carreira é muito importante participar de eventos de sua área de atuação. Lá, descubra quem são os principais contatos que serão excelentes para sua carreira. Quando surgir a oportunidade, aproxime-se.

Seja simpático e atencioso, mas foque na rede que você deseja criar. Seja um colega de trabalho, cliente, mentor ou alguém que o ajudou a fazer conexões valiosas, esses são os contatos cuja presença em sua vida é claramente valiosa para sua carreira.

De forma simples, se você tivesse que fazer uma lista dos 20 contatos profissionais mais importantes da sua vida agora, são essas pessoas que devem ser o alvo no seu Networking efetivo.

Depois de identificá-los, mantenha contato regular. Esses não são profissionais para as quais você deve apenas enviar um e-mail programado vez ou outra. Você deve saber quais são os interesses deles e acompanhá-los de perto.

Procure ajudar

É fácil supor que um contato bem-sucedido já tenha tudo o que ele deseja e não queira nada de você. Caso você pense assim, supere isso. Sempre vale a pena descobrir os desejos e preocupações de um contato.

As chances de encontrar algo que valha a pena oferecer são altas. Não subestime o que você pode oferecer. Não importa se o contato tem status dinheiro e poder, nenhum ser humano é abastado, que não necessite de nada.

Acredite, você sempre pode ajudar em algo.

Utilize as redes sociais

As redes sociais são uma fonte de contatos incrível quando se trata de Networking. É claro que, nada substitui o forte aperto de mão e o olhar nos olhos na hora de uma boa conversa. No entanto, antes disso acontecer, as redes sociais “preparam o terreno”.

Interaja por lá antes dos eventos e se conecte com seus pares. Mantenha um perfil intrigante e atraente para que também seja notado antes de ir a qualquer evento.

Encontre profissionais com interesses em comum

Neste momento, não estamos falando da carreira propriamente, e sim de interesses de vida em comum. É ótimo fazer Networking dentro da sua área, mas, é melhor ainda quando, além da carreira, seus contatos compartilham dos mesmos interesses do dia a dia.

Em relação ao Networking, a Conquest One incentiva a troca de experiência entre os seus colaboradores. Por exemplo, o profissional alocado na empresa é capaz de participar de vários projetos ao longo do tempo, com a possibilidade de fazer contatos com outras pessoas de diferentes nichos.

Essa prática acrescenta mais experiência em diversas áreas de atuação, algo que é muito valorizado, já que atualmente os profissionais precisam ser generalistas e não mais especialistas em apenas 1 área. Deseja conhecer mais sobre esse assunto? Entre em contato conosco

Os benefícios de ser um profissional de TI inserido em um ecossistema de inovação

ecossistema de inovação

Mesmo em meio    à turbulência da crise econômica brasileira, o setor de Tecnologia da Informação é um dos segmentos que não para de evoluir. Segundo a IDC Brasil, o mercado de TI deve fechar o ano de 2019 com um crescimento de 10,5%, maior que o ano passado. O impacto também é positivo na busca por novidades e iniciativas que promovam o ecossistema de inovação, por exemplo.

Se você, profissional de TI, não quer ficar para trás, que tal aprender um pouco mais sobre o ecossistema de inovação e entrar de cabeça nesse mundo? Confira a seguir nesse artigo.

Ecossistema de inovação: o que é?

Antes de falarmos sobre os benefícios que um profissional de Tecnologia de Informação pode obter somente por estar inserido dentro de um ecossistema de inovação, é importante saber exatamente o que isso significa.

E não tem mistério! O ecossistema de inovação é um polo tecnológico criado especialmente para o desenvolvimento e criação de produtos e serviços, focados na tecnologia e diretamente ligados com a colaboração e o empreendedorismo.

Mas para que tudo isso aconteça, esses espaços colaborativos precisam ter toda a infraestrutura necessária para a pesquisa, descoberta e desenvolvimento de uma inovação.  

Vale destacar que propostas como as do ecossistema de inovação só são possíveis quando sustentadas por quatro pilares: governo, indústria, academia e os próprios profissionais.

O mais famoso desses ambientes é o Vale do Silício, na Califórnia. Reconhecido no mundo todo como um polo de alta tecnologia, o Silicon Valley é um enorme ecossistema de inovação, que já formou gigantes da tecnologia, e estimula soluções disruptivas totalmente construídas de forma colaborativa.

O conceito desse tipo de espaço já ganhou o mundo e, no Brasil, já temos  importantes centros de inovação tecnológica, como  o ITA,  em São José dos Campos (SP), a Fundação Unicamp,  em Campinas,  também em São Paulo, o  San Pedro Valley, em Belo Horizonte (MG) e a Capital  da Inovação, em Florianópolis (SC),  dentre outros.

turnover

Os benefícios do ecossistema de inovação para os profissionais de TI

Fazer parte de um ecossistema de inovação é a oportunidade que os profissionais de Tecnologia da Informação têm de interagir com as empresas, descobrir e encontrar soluções para acabar com as dores do mercado, criando serviços, produtos e projetos.

Certo. Mas quais são as reais vantagens do ecossistema de inovação para nós, profissionais de TI? Veja, abaixo, três bons motivos:

 Troca de experiências entre os profissionais

Não importa há quanto tempo você é um profissional de TI.   O mercado de tecnologia está sempre se inovando e se renovando.  As empresas sempre estão ávidas por novidades e profissionais antenados.

No ecossistema de inovação, os profissionais podem aprender uns com os outros. Errar, acertar e encontrar soluções para os problemas.  Toda essa dinâmica é uma maneira de superar os desafios e sair na frente da concorrência.

Participação em redes de indicações

As relações de trabalho mudaram e, mais do que nunca, o famoso QI (quem indica) está em alta.

A grande maioria das empresas não realizam parcerias sem terem indicação do trabalho de outras organizações.   Se você conhece de perto a metodologia, a seriedade e a autenticidade do trabalho de uma empresa ou colega, fará a indicação de olhos fechados.  E o inverso também: você será indicado sem medo.  O ecossistema de inovação é um ambiente de ganha-ganha.

Aprimoramento das habilidades profissionais

Os ecossistemas são verdadeiros polos para atrair talentos e incentivar o aprimoramento das habilidades profissionais dentro de empresas que já estão consolidadas no mercado.  

O contato permite não apenas melhorar os seus conhecimentos, mas também criar uma boa rede de networking.  Estar dentro de um desses polos de tecnologia é mais do que um privilégio. É a oportunidade de amadurecimento e reconhecimento profissional.

Como a Conquest One estimula esse ambiente

Em 2018, a Conquest One lançou no mercado a sua própria aceleradora de startups: a CQ1Lab, que surgiu em virtude das dificuldades enfrentadas pelas organizações tradicionais em se adaptar ao mercado, principalmente quando se deparam com a velocidade da criação de startups.

A ideia da CQ1Lab é proporcionar um ecossistema de inovação para desenvolver novos negócios focados em tecnologias voltados ao mercado de gestão de capital humano, conhecidas como HRTechs.

Na CQ1Lab, além de um espaço totalmente dedicado a inovação, a startup terá a mentoria de especialistas em desenvolvimento de produtos, desenvolvimento de negócios, gestão de pessoas e tecnologia, entre outras especialidades.

As startups interessadas, e que tenham soluções essencialmente focadas na área de gestão de capital humano, passam por uma avaliação criteriosa, que inclui nível de maturidade do negócio, estágio de desenvolvimento do produto / serviço e utilidade mercadológica, entre outros. 

Depois de selecionadas, as startups serão aceleradas em fases de três meses, dentro da estrutura tecnológica da CQ1Lab, na sede da própria Conquest One, em São Paulo. 

Não são apenas as startups que se beneficiam do programa de aceleração.    O time de mentores da CQ1Lab também aproveita o ecossistema de inovação criado pelas aceleradas para impulsionar a inovação em organizações já estruturadas.

Deseja conhecer mais a respeito do projeto e saber como você pode fazer parte desse ecossistema de inovação? Entre em contato conosco.

Talent Hacking: como a tecnologia entrega os melhores profissionais de TI para os seus projetos

Profissionais de TI

A missão de encontrar profissionais de TI qualificados para uma vaga é um enorme desafio. Por mais que, às vezes, sobrem candidatos, achar aquele com o fit perfeito é quase impossível — pelo menos quando feito de modo tradicional e sem o uso de tecnologia (ou seja, praticamente às cegas).

Essa é a sina de várias empresas no mercado brasileiro, por incrível que pareça.

Mesmo com a onda de modernização atingindo várias áreas dentro do ecossistema corporativo, muitas vezes o RH é deixado de lado. Mas por quê? Sem se dar conta do potencial do setor, muitas vezes gestores o relegam à uma área operacional.

Só que isso pode prejudicar muito a empresa em um médio a longo prazo.

Sem investimentos e melhorias tecnológicas, processos essenciais podem sofrer, como por exemplo a emissão de folhas salariais ou, ainda pior, a seleção de talentos. Dessa forma, além de ficar desorganizada, a empresa diminui seu potencial estratégico e perde posições na corrida com a concorrência.

Nenhuma empresa quer que isso, certo?

Assim, surgiu o Talent Hacking: um termo relativamente novo, mas que é feito por alguns recrutadores já há algum tempo. Trata-se da atualização com as novas tendências do mercado para se adaptar aos processos. E a tecnologia, com certeza, é uma delas.

Por isso, escrevemos esse artigo para detalhar como agregar tecnologia ao setor de RH pode revolucionar a sua empresa e tornar seu processo seletivo impecável, aprimorando cada vez mais seu time.

Confira!

Os benefícios gerais da tecnologia para o seu negócio

Após a implementação de soluções tecnológica no seu RH, a empresa notará uma melhoria na resolução de processos que antes, por conta de formalidades como pouco acesso a informações, não se concretizavam.

Separamos alguns benefícios que exemplificam como a tecnologia pode ajudar na rotina dos profissionais de RH na sua empresa, além de otimizarem e facilitarem cada etapa do processo de recrutamento e seleção de talentos:

Automatização de tarefas

Com o auxílio de um software como um ERM e ERP, seu RH ganha muito mais que uma ferramenta organizadora. Com ela, você consegue automatizar tarefas que antes ocupavam horas preciosas da equipe.

Comunicação interna, seleção de currículos conforme critérios pré-estabelecidos ou mesmo a atualização dos perfis dos colaboradores são feitos pelos próprios profissionais através de plataforma exclusiva.

Dessa forma, sua empresa reduz custos e a equipe de RH fica livre para focar em tarefas estratégicas, que contribuam diretamente para o crescimento da empresa.

Integração e facilidade de acesso às informações

Um sistema tecnológico para seu RH facilita o trabalho dos profissionais de gestão do setor, pois oferece a possibilidade de eles acessarem informações atualizadas de forma rápida, com um ou dois cliques.

Tenha acesso a relatórios de desempenho, gerencie o relacionamento com os profissionais de cada área, registre interações e faça um acompanhamento completo do seu trabalho, elaborando relatórios interativos.

Tudo isso através de uma plataforma transparente e acessível, que reúne todos os dados pertinentes à gestão de pessoas.

Maior eficiência nos processos de seleção e recrutamento de talentos

Graças às tecnologias de ponta, sistemas de RH conseguem auxiliar em todo processo de seleção de talentos, de ponta a ponta.

Encontrar perfis de candidatos ideais para cada vaga se torna uma etapa rápida, sem a demora (ou a papelada) de antigamente. Além disso, você conseguirá fazer toda gestão do recrutamento, desde o contato com o candidato até o agendamento de entrevistas.

Assim, sua empresa age de forma certeira no mercado, encontrando os profissionais de TI desejados e com melhor currículo disponível para compor e melhorar seu time!

Plataforma da Conquest One: como funciona e quais são seus benefícios em encontrar os melhores profissionais de TI

A Conquest One é especialista em Staffing e Outsourcing de TI. Ou seja, com as soluções tecnológicas desenvolvidas pela empresa, é possível encontrar o talento certo para seu projeto de TI ou vaga em aberto.

Ela também oferece soluções para qualificar continuamente seus profissionais de TI, realizando a gestão de sua performance para que sua evolução acompanhe as expectativas e necessidades do cliente.

Dessa forma, os clientes da Conquest One adquirem um diferencial de mercado ao adotar as soluções da empresa, que otimizam toda gestão de pessoas. Sem papeladas ou processos morosos.

Hunting

Na área de atração e seleção de talentos, a Conquest One desenvolveu um ATS (Applicant Tracking System, ou um Sistema de Aquisição de Talentos), integrado ao seu ERP, que auxilia todo o processo de recrutamento de novos profissionais.

Com ele, você tem em uma única plataforma o acesso a todas as etapas do fluxo de seleção, da abertura da vaga até o agendamento das entrevistas.

O ATS da Conquest One encontra profissionais de TI certos para sua vaga pois atua com alta tecnologia de rastreamento, utilizando geolocalização e também informações retiradas do big data. Na fase de entrevistas, possibilita a criação de testes personalizados e muito mais!

Outsourcing de TI

Projetos de TI exigem assertividade e qualidade na execução. Por isso, a Conquest One atua na área de Outsourcing de TI fornecendo o profissional desejado — ou equipes inteiras — que se encaixe na sua demanda, cultura organizacional e modelo de trabalho.

Assim, além de alocar profissionais tecnicamente capacitados, a Conquest One faz questão de fornecer alguém que esteja de acordo com os valores da sua empresa.

Com entregas definidas por SLAs, que podem incluir serviços de plantão, a empresa entrega solucionadores de problemas à sua companhia, que podem trabalhar em qualquer ambiente de infraestrutura de TI ou com sistemas multiplataformas.

A empresa também possui um Service Desk especializado, comandado por profissionais certificados nas mais diversas áreas de TI e prontos para providenciar auxílio assertivo para qualquer dúvida ou suporte técnico.

A tecnologia pode ser a maior aliada na busca pelo profissional perfeito para sua empresa, além de ter o potencial de transformar todo seu RH.

É com esse pensamento em mente que a Conquest One atua, oferecendo soluções completas para revolucionar seu método de gestão de pessoas e seleção de talentos. 

Conheça mais sobre nossas soluções e entre em contato com um de nossos especialistas!

A Importância de capacitar os profissionais de TI

Capacitar profissionais de TI

Treinamento e educação continuada parecem ideais nobres para qualquer empresa. Em um mundo perfeito, todos os funcionários gastariam um quarto de seu tempo aprendendo novos conceitos e técnicas para aprimorar seus conjuntos de habilidades.

A realidade dos orçamentos, listas de tarefas tremendamente longas e o receio de ver o dinheiro do treinamento saindo pela porta dos fundos quando os funcionários saem significam que esse tipo de educação continuada não costuma ser uma prioridade para muitas empresas, especialmente para os departamentos de TI.

No entanto, este é o caminho errado a ser seguido. Treinar e investir em seus funcionários de TI é mais importante do que nunca. Para te mostrar, abaixo, explicaremos a importância de desenvolver os profissionais de TI e os benefícios que a capacitação do seu time pode trazer para sua empresa!

Por que capacitar os profissionais de TI do seu time é importante?

A Tecnologia da Informação está em constante evolução. Novas ferramentas surgem diariamente, substituindo tecnologias antigas para gerar mais produtividade, eficiência e redução de custos na empresa.

“A tecnologia está evoluindo mais rápido do que a capacidade humana”. Foi o que afirmou Thoman Friedmann, colunista do The New York Times, quando analisou nossa evolução ao longo dos últimos séculos. 

Segundo ele, até o século XX o homem foi capaz de acompanhar as ferramentas que criava, mas, a partir desse ponto, o avanço tecnológico começou a se acelerar, exigindo que as pessoas aprendessem mais e de maneira mais rápida.

Mas quais os impactos disso no departamento de TI? Não há dúvidas de que a TI, hoje, é fundamental para qualquer negócio — falaremos mais disso abaixo —, mas fora isso, a velocidade das novas ferramentas tecnológicas causou um impacto significativo na mão de obra disponível. Ou seja, falta mão de obra qualificada, especialmente no Brasil, país em que os cursos superiores ainda lutam para acompanhar o mercado.

Dito isso, existem inúmeros motivos pelos quais o treinamento do time de TI é importante. Para simplificar, explicamos as 3 áreas em que eles mais impactam sua empresa:

1. A TI é parte essencial de qualquer negócio

Como já adiantamos, a TI é parte essencial de qualquer negócio. Com a introdução dos computadores, o mundo dos negócios mudou para sempre. Hoje, as empresas usam a Tecnologia da Informação para garantir que seus departamentos funcionem sem problemas. E não importa o departamento: a TI é utilizada desde nos Recursos Humanos da empresa, até no Financeiro, Segurança, Marketing e por aí vai. 

Usando a TI, as companhias têm a capacidade de visualizar as mudanças nos mercados globais muito mais rápido do que podiam antes. Elas compram pacotes de software e hardware que as ajudam a realizar seu trabalho. 

A Tecnologia da Informação permitiu que as empresas acompanhassem a oferta e a demanda, à medida que os consumidores se sentiam mais ansiosos para ter seus produtos instantaneamente e, mais do que isso, com qualidade. Por isso, contar com funcionários capacitados a enxergar as ferramentas necessárias para conquistar esses objetivos (e a usá-las bem), é um grande diferencial.

2. Capacitar os profissionais de TI ajuda a reter talentos

Os funcionários se sentem apreciados quando uma empresa investe em seu sucesso gastando dinheiro em cursos de treinamento destinados a melhorar suas habilidades. Eles geralmente consideram essas oportunidades de treinamento durante uma aplicação para um novo trabalho.

Embora, é claro, essas qualificações e novos aprendizados sejam transferidos para novos funcionários quando eles deixam um emprego, melhorar o currículo geralmente é uma prioridade tática para qualquer profissional.

Os funcionários também tendem a apreciar os empregadores dispostos a investir em suas habilidades e são menos propensos a sair porque se sentem mais valorizados. Eles têm menos motivos para procurar um novo empregador, o que ajuda a empresa a reter talentos e a garantir o retorno sobre o investimento feito com os treinamentos.

3. Melhora a habilidade da TI de responder às mudanças

Em muitas empresas, a TI não é mais apenas um centro de custos, uma despesa necessária para fazer negócios. À medida que a economia da Internet surge, e à medida que o big data e a análise de dados continuam a transformar a forma como os negócios são feitos hoje, a TI precisa se tornar um centro de valor, se não um centro de lucro.

A TI deve permitir novas tecnologias que possam atender diretamente aos clientes. Como nunca, ela precisa disponibilizar dados, particularmente a capacidade de dividi-los e selecioná-los, a fim de identificar padrões no comportamento do cliente e insights sobre os processos de negócios existentes.

Essas tecnologias exigem habilidade. Hadoop, Hive, Pig, Cassandra e HBase são exemplos de ferramentas emergentes que estão entrando em suas fases de crescimento. Cinco anos atrás, ninguém era proficiente neles. 

Agora, ser habilidoso na implementação de um banco de dados cheio de registros não estruturados é visto como a próxima grande novidade. Capacite seus funcionários a permanecerem na vanguarda das novas tendências de TI e permita que eles treinem nessas tecnologias, e você aumentará diretamente o valor de seu departamento de TI no que se refere à geração de receita e redução de custos.

Ter um departamento de TI fazendo um impacto sólido na linha de fundo é um excelente empreendimento, mas você não pode fazer isso acontecer sem o compromisso de um programa de treinamento consistente. 

Agora que você entendeu a importância de capacitar os profissionais de TI, veja 10 maneiras de melhorar o desempenho do seu time de tecnologia e conquistar os benefícios que listamos acima! 

Além disso, se desejar, agende uma reunião para saber como a Conquest One pode lhe ajudar.

Inovação: como reinventar-se em 4 passos

innovation

A sociedade vive no período de 4ª revolução industrial onde o avanço tecnológico provoca constantes transformações no mercado. Ou seja, as pessoas que caminham em direção a inovação apresentam mais chances de alcançarem sucesso na carreira do que aquelas que permanecem estagnadas. Diante deste panorama, “reinvenção” torna-se a palavra de ordem. Afinal, o ato de acordar todos os dias disposto a adaptar-se as circunstâncias existentes é fundamental para conseguir lidar com as mudanças sem deixar de sobressair-se.

De acordo com José Roberto Marques, fundador do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), a reinvenção é uma ação extremamente associada a escolha de sair da zona de conforto. “Trata-se de desapegar de tudo aquilo que não agrega ao atual momento de vida e ir de encontro aos hábitos que realmente são capazes de fazer a diferença. Logo, é um grande desafio principalmente para quem costuma ter uma atitude passiva alinhada a uma dificuldade de tomar decisões importantes. Contudo, o bem-estar é sinônimo de ter uma mente aberta ao deparar-se com a sensação de insuficiência tanto no âmbito pessoal como profissional. Do contrário, as consequências negativas são inevitáveis”, afirma.

Pensando em auxiliar as pessoas que desejam enfrentar uma jornada de transformação, o especialista listou quatro dicas para reinventar-se. Veja abaixo:

1. Desenvolva resiliência

A atitude de começar do zero todos os dias exige resiliência, pois a reinvenção é um processo ininterrupto que dispensa desistências. Por sua vez, a habilidade é eficiente na recuperação do equilíbrio após situações de estresse – o que traz a motivação necessária para se manter com foco independente das condições externas ou internas. Neste caso, a atividade de desenvolvimento pessoal que atua na aquisição ou aprimoramento de conhecimentos é um ótimo meio de trabalhar a competência.

 

2. Permaneça no presente

Muitas pessoas cometem o equívoco de pensar que as mudanças pertencem ao futuro. Porém, a verdade é que são apenas um reflexo das decisões tomadas no presente. Então, o momento de agir é o agora sendo imprescindível estar atento aos acontecimentos ao redor a fim optar pelas melhores alternativas.

3. Mantenha-se otimista

A base da mudança encontra-se na mente. Por esta razão, é necessário desenvolver uma cultura voltada ao sucesso. Neste contexto, alimentar uma mentalidade otimista é um passo rumo ao aumento de autoconfiança e engajamento na jornada de transformação. Ao pensar positivo, as pessoas tendem a darem o melhor de si e consequentemente obtêm resultados gratificantes.

4. Inove

O ato de sair da zona de conforto anda de mãos dadas com a inovação, pois propicia o surgimento de insights valiosos na hora de se diferenciar no mercado. Neste contexto, o cérebro humano está condicionado a resolver um desafio pela saída segura. Logo, a primeira opção que aparece na mente é a que se tende sempre a utilizar.

Para alcançar um novo mindset, é necessário ampliar o repertório ao realizar tarefas que fujam do cotidiano como escutar a um estilo musical diferente, experimentar um prato novo no período do almoço, assistir a um filme que nunca havia considerado ver antes ou conversar com alguém de fora do ciclo de relacionamentos. No final das contas, os pontos fora da cura serão os responsáveis por ativar partes inativas do cérebro que irão provocar conexões inéditas.

Harvard disponibiliza 15 cursos de Inteligência Artificial gratuitos e online que possuem certificado

Harvard disponibiliza 15 cursos de Inteligência Artificial gratuitos e online que possuem certificado

Confira esta super chance de dar UP no seu currículo.

 

Você se interessa por tecnologia e está em busca de cursos extra curriculares para incrementar o currículo, ou  é formado na área e deseja ampliar seus conhecimentos? Então você pode fazer isso agora mesmo através dos cursos gratuitos e online da Universidade de Harvard para a área de Inteligência Artificial! Além de poder estudar gratuitamente de onde estiver, você ainda fará isso em uma das melhores universidades do mundo!

Sobre a Universidade de Harvard

Harvard é conhecida pela excelência em educação, ocupa a sexta colocação do ranking mundial e oferece diversos cursos abertos. A instituição é privada situada na cidade de Cambridge, estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. É um membro da Ivy League, que é uma conferência desportiva da NCAA de oito universidades privadas do nordeste do país. Sua história, influência e riqueza tornam-na uma das mais prestigiadas universidades do mundo.

Os Cursos

A Universidade de Harvard disponibiliza a plataforma Harvard Online Learning, que oferece mais de 100 cursos online gratuitos para que qualquer pessoa do mundo inteiro possa estudar de onde estiver, são variados assuntos e diversos temas.

Dentre eles estão disponíveis 15 cursos de Inteligência Artificial gratuitos e pagos. Nos cursos gratuitos é possível obter um certificado de conclusão, porém um valor de taxa é preciso ser pago. Confira os cursos clicando nos links abaixo:

Empatia é combustível para Inovação e criatividade

A marca registrada de um organização de sucesso é a sua capacidade de aproveitar a criatividade e impulsionar os negócios para o território da inovação.

Sem crescimento e inovação, as empresas estagnam e acabam por desaparecer. Aqueles com poder de permanência dentro das estruturas organizacionais, dominam um fator intangível e muitas vezes negligenciado, que pode permitir concentrar-se no futuro com clareza: a empatia. 

Pode ser para você uma surpresa mas tenho clareza de que a capacidade de se conectar e se relacionar com os outros, a empatia em sua forma mais pura, é a força que leva as empresas adiante.

Embora o conceito de empatia possa contradizer o conceito moderno de um local de trabalho tradicional, competitivo, cruel e com os funcionários subindo uns nos outros para chegar ao topo, a realidade é que para os líderes empresariais terem sucesso, eles precisam não apenas ver ou ouvir a atividade em torno deles, mas também se relacionar com as pessoas que eles servem.

Os mais centrados nos processos lógicos podem pensar que obterão os resultados que desejam, perseguindo obstinadamente seus objetivos sem pensar muito em outras pessoas, ou em outros sucessos ao longo do caminho. Essa atitude funciona para alguns, mas muitas vezes e mais do que imaginamos, precisamos confiar em relacionamentos e estabelecer conexões pessoais e profissionais. Relações resultantes de um interesse honesto e dedicado nos outros e em seus propósitos.

Pessoas de sucesso não operam sozinhas. Cada um de nós precisa do apoio de outras pessoas para alcançar resultados positivos que nos impulsionam em direção aos nossos objetivos. A verdadeira empatia combina a compreensão do raciocínio emocional e lógico para a tomada de decisão.

A empatia é a força motriz por trás da comunicação empresarial. Infelizmente, tenho visto muitas situações em que as pessoas falam umas com as outras, em vez de fazer um esforço conjunto para ouvir e descobrir oportunidades de colaboração. O catalisador da mudança é a comunicação aberta e de mão dupla. Quando as pessoas conseguem sair de seus escritórios e mentalidades e experimentam vulnerabilidade, elas realmente começam a sentir o que as pessoas ao seu redor estão sentindo.

Empatia é combustível para Inovação e criatividade

 Ao tentar enfatizar a importância de focar nos outros e desenvolver maior empatia, cresce igualmente a capacidade criativa.

A criatividade é uma habilidade crítica para o trabalho, mas é aparentemente um recurso cada vez mais escasso nas organizações tradicionais. Segundo estudos, 61% dos líderes não acreditam que suas empresas sejam suficientemente criativas. Além disso, em um estudo recente, 77% das pessoas afirmam acreditar que a criatividade é uma habilidade crítica para o trabalho no século 21.

Então pensa comigo, se não temos empatia nos relacionamentos profissionais e intrapessoais nas organizações não teremos igualmente campo propicio para a obtenção da criatividade e por sua vez seremos menos inovadores.

Empatia significa entender o que é importante para as pessoas e entender suas lutas.Grandes inovações começam com um foco nas pessoas e no entendimento de suas necessidades, condições e desafios. 

Será que não é o momento de investirmos em ver e ouvir o outro, que faz parte da minha equipe, que faz parte do meu negocio e que pode ser o grande aliado no meu sucesso pessoal e profissional?

Considere rever seu processo de comunicação no trabalho e passe a entender melhor as suas necessidades e desafios dos seus pares, lideres e liderados.

Que tal começarmos pela comunicação empatia?

A comunicação empática pode ser um primeiro caminho para construirmos um ambiente criativo e inovador em nossas organizações para se fazer entender, cumprir os objetivos acordados e manter-se conectado com pontes entre as áreas da organização.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Inspire-se por metodologias e design, em que o humano é o centro da inovação, e o resultado encontrado é o entendimento da experiência do usuário. A empatia é a ferramenta primordial para ouvir sem julgamento e entender as dores que o usuário está experimentando e por sua vez descobrir o real problema que estão tentando resolver.

O autor do livro Comunicação Não Violenta, Marshall Rosenberg, livro que recomento fortemente, sugere 4 ações, relativamente simples que em conjunto facilitam a comunicação e conexão das pessoas por empatia, são elas:

Observar – Observe o desafio e as pessoas envolvidas sem julgamentos ou avaliação.

Sentir – Sinta o ambiente e as necessidades das pessoas e identifique-se com os medos e dores do seu receptor.

Entender- Entenda as necessidades dos envolvidos com clareza traduzindo em ações concretas.

Pedir – Saiba avaliar e pedir com clareza as informações e ações necessárias para a execução do trabalho.

Esta combinação em prática pode ser um forte aliado na construção e obtenção de relações profissionais empáticas e sadias. Pode ser a sua porta de entrada na empatia e para revemos nossas crenças e nos permitir novas idéias.

Acredito que a criação focada no relacionamento expande a capacidade e potencializa a inovação valorosa. A empatia pode ser uma habilidade empresarial que realmente gera frutos de sucesso quando praticada e compartilhada. Embora possa ser diferente de qualquer outra prática que você já tenha usado em seu negócio, a empatia no local de trabalho cria e estimula a comunhão de ideias sem receio do ridículo. Se quisermos manter nossos negócios relevantes e nossos consumidores felizes, devemos abraçar a empatia e deixar que seja a força que nos impulsiona.

Esse é o poder da empatia.

Especialista em WSO2: a nova “mosca branca” do mercado de tecnologia

Especialista em WSO2: a nova “mosca branca” do mercado de tecnologia

Pense no seguinte cenário: empresas em busca de um profissional de tecnologia que seja altamente especializado, difícil de encontrar e disputado por sua alta capacidade.

Isso não é lá muito novidade no mundo da inovação. Não é de hoje, inclusive, que entidades como a BRASSCOM – Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação vem alertando sobre o déficit de mão de obra nesta área. A propósito, essa semana a própria Associação publicou pesquisa atualizada que mostra que o Brasil pode chegar a 2020 com um déficit de 750 profissionais qualificados para atuar no segmento.

 

Perfis “Mosca Branca”

Um dos perfis “mosca branca” desse ecossistema é justamente o especialista nas soluções desenvolvidas pela WSO2, uma empresa com origem no Siri Lanka e sede nos Estados Unidos (listada como visionária no Quadrante Mágico do Gartner, na categoria Full Life Cycle API Management), que, impulsionada pela economia das APIs e pelo mercado digital, viu suas soluções open source de gestão de APIs, integração e identity management se popularizarem ao redor do globo.

Outra curiosidade sobre a empresa, é que ela foi nomeada pela Forrester Research como líder em The Forrester Wave ™: Soluções de gerenciamento de APIs. (Para ler relatório completo acesse aqui).

 

Carreira

Se você é um dos raros especialistas nas soluções WSO2, parabéns! Você pertence a um grupo muito, mas muito pequeno de pessoas que tiveram a oportunidade de se aprofundar nessas tecnologias e agora começam a ser disputadas pelo mercado, tanto local, quanto estrangeiro.

E se você não é esse profissional, mas gostaria de se tornar um, acompanhe as nossas dicas e “saia voando” em rumo ao sucesso:

  • É possível estudar e conseguir certificação nas ferramentas WSO2 a partir de cursos disponibilizados pela própria empresa em seu site. São treinamentos oficiais e gratuitos. Porém, como a tecnologia é open source e muda o tempo todo a partir da colaboração com seus usuários, é difícil estar totalmente atualizado somente a partir do material disponibilizado ali. Para ter acesso a informações sobre os critérios, pré-requisitos e detalhes para a certificação, acesse http://wso2.com/training/certification
  • Existem empresas especializadas em treinamento nestas tecnologias. No Brasil existe apenas uma, a Join Treinamentos, e sua agenda de treinamentos já está fechada para o ano, em função da altíssima demanda por especialização nessas tecnologias. Os maiores “consumidores” desses cursos hoje são grandes companhias que precisam capacitar seus profissionais para atuar em projetos já em andamento;
  • Três perfis profissionais podem atuar com WSO2 nas diferentes etapas dos projetos:
    • Profissional de infraestrutura e setup, focado na fase de instalação da solução;
    • Profissional de desenvolvimento que, entre outras características, precisa ter conhecimento aprofundado em Java e no desenvolvimento de APIs;
    • Profissional específico para a área de sustentação dos projetos, que precisa conhecer um pouco de cada uma das etapas anteriores.

Caso queira conhecer os produtos da WSO2, faça o download nos links abaixo. Todos podem ser baixados, testados e utilizados, inclusive em ambiente produtivo.

API Manager
https://wso2.com/api-management/install/

Enterprise Integration
https://wso2.com/integration/install/

Identity & Access Management
https://wso2.com/identity-and-access-management/install/

Analytics & Stream Processing
https://wso2.com/analytics-and-stream-processing/install/ 

Colaboração de Conteúdo: Jandiro Arão – Systems Architect and Integrations in the WSO2 platform, e Adriana Ismael – Talent Acquisiton in Conquest One.

7 novas regras de liderança em TI

7 novas regras de liderança em TI

Poucas coisas no mundo mudaram mais dramaticamente nos últimos 10 anos do que a tecnologia. Mas muitos líderes de tecnologia ainda estão se pautando por regras antigas e desatualizadas.

Já se foram os dias em que a TI dava ordens para que todos na empresa fossem obrigados a segui-la. E que o departamento de TI era estritamente um tomador de pedidos, simplesmente tentando atender às demandas dos executivos de negócios.

O crescente ritmo de mudança significa que as empresas não podem mais se dar ao luxo de levar meses (ou anos) para implementar projetos de TI grandes e caros; entrega contínua e constante é a nova lei. As organizações também não podem escolher entre inovação ou segurança – elas precisam de ambas. Isso coloca mais pressão sobre os CIOs para entregar novas iniciativas de maneira segura e compatível.

Hoje, os líderes de TI estão ajudando os usuários de negócios a escolher o melhor de um catálogo cada vez maior de ferramentas e serviços, enquanto orientam a organização por meio de sua transformação tecnológica. À medida que as empresas se tornam mais dependentes dos dados para impulsionar as decisões, os líderes de tecnologia têm mais poder e maior responsabilidade.

As regras antigas utilizadas pela TI deixam de ser relevantes. Aqui está o que as substituiu.

Regra antiga: a TI cria as regras (e tenta aplicá-las)
Nova regra: os usuários criam as regras (e a TI tenta mantê-las fora de problemas)
Estabelecendo políticas, aplicando padrões, certificando-se de que tudo com um LED esteja seguro e firme. Lembra dos velhos tempos?

Hoje os usuários fazem as regras. Seu trabalho é guiá-los gentilmente na direção certa, para garantir que eles não coloquem as operações e a empresa em risco.

“O papel do CIO mudou de executor para curador”, diz Jonathan Stone, CTO/COO da Kelser.

Cinco anos atrás, os líderes de tecnologia decidiram quais aplicativos o negócio usaria e quem teria acesso a eles. Agora eles estão constantemente avaliando como as novas tecnologias podem beneficiar os negócios e orientando os usuários sobre as melhores soluções.

“Toda a equipe ainda precisa estar na mesma página, e o CIO ainda decide qual página é essa”, diz Stone. “Mas você não os vê mais tomando decisões abrangentes como: ‘Não fazemos nada baseado na nuvem'”.

Regra antiga: manter as luzes acesas
Nova regra: manter os dados fluindo
As velhas tarefas diárias de TI – administrar direitos de acesso, gerenciar a qualidade dos dados e gerar relatórios – são normalmente tratadas por equipes de negócios com pouca ou nenhuma supervisão de TI, diz Mark Settle, CIO da Okta. Hoje é tudo sobre dados.

“As principais responsabilidades da TI estão cada vez mais focadas na integração de dados em vários aplicativos, no gerenciamento de dados mestres em nível corporativo e na aplicação de salvaguardas de segurança cibernética”, diz Settle. “A TI torna as empresas mais competitivas, automatizando processos, democratizando dados e reduzindo a fricção em relação ao usuário”.

Hoje os usuários fazem as regras. Seu trabalho é guiá-los gentilmente na direção certa, para garantir que eles não coloquem as operações e a empresa em risco.

“O papel do CIO mudou de executor para curador”, diz Jonathan Stone, CTO/COO da Kelser.

Cinco anos atrás, os líderes de tecnologia decidiram quais aplicativos o negócio usaria e quem teria acesso a eles. Agora eles estão constantemente avaliando como as novas tecnologias podem beneficiar os negócios e orientando os usuários sobre as melhores soluções.

“Toda a equipe ainda precisa estar na mesma página, e o CIO ainda decide qual página é essa”, diz Stone. “Mas você não os vê mais tomando decisões abrangentes como: ‘Não fazemos nada baseado na nuvem'”.

Regra antiga: manter as luzes acesas
Nova regra: manter os dados fluindo
As velhas tarefas diárias de TI – administrar direitos de acesso, gerenciar a qualidade dos dados e gerar relatórios – são normalmente tratadas por equipes de negócios com pouca ou nenhuma supervisão de TI, diz Mark Settle, CIO da Okta. Hoje é tudo sobre dados.

“As principais responsabilidades da TI estão cada vez mais focadas na integração de dados em vários aplicativos, no gerenciamento de dados mestres em nível corporativo e na aplicação de salvaguardas de segurança cibernética”, diz Settle. “A TI torna as empresas mais competitivas, automatizando processos, democratizando dados e reduzindo a fricção em relação ao usuário”.

Mais do que nunca, a TI deve equilibrar as necessidades de conformidade e segurança da organização com os desejos dos usuários finais. Em outras palavras, os CIOs modernos precisam ser tão bons em RH quanto na segurança da informação. É preciso proteger as aplicações, independente do dispositivo.

Regra antiga: escolha um parceiro, fique com ele por toda a vida
Nova regra: mantenha suas opções em aberto
Era uma vez CIOs que simplificavam seus portfólios, comprometendo-se com um grande fornecedor para implementar a maior parte da tecnologia em uso na empresa. Mas as falhas de entrega, as taxas onerosas de licenciamento, a inflexibilidade e o aprisionamento do fornecedor azedaram muitas dessas relações.

Hoje em dia as empresas podem fazer muito melhor  buscando parceiros tecnológicos mais ágeis que possam satisfazer suas necessidades sem renegociações prolongadas ou penalidades, diz Mike Meikle, CEO da secureHIM.

“É tudo sobre economia de custos e flexibilidade”, diz Meikle. “As empresas agora querem os melhores parceiros de vendas, cujos SLAs são mais flexíveis, permitindo que eles respondam com mais agilidade a um mercado que muda rapidamente.”

Ainda assim, flexibilidade e liberdade têm um custo.

“Mais fornecedores e soluções significam maior complexidade”, acrescenta. “E muitas empresas cometem o erro de pensar que o uso de fornecedores terceirizados ou SaaS permitirá que eles reduzam o número de funcionários, de modo que acabam perdendo conhecimento institucional valioso.”

O sucesso de fazer malabarismos com vários provedores de serviços também exige a instalação de um programa de gerenciamento de fornecedores para garantir que os SLAs sejam cumpridos e os contratos sejam mantidos.

“Ter um programa de governança maduro também será importante para manter as expectativas da diretoria de acordo com a realidade”, acrescenta.

Regra antiga: Se não está quebrado, não conserte
Nova regra: se não está quebrado, quebre
Uma década atrás, o trabalho da TI era manter a disponibilidade alta e os custos baixos, para minimizar interrupções e evitar violações. Hoje, CIO realmente significa Chief Innovation Officer. Mover-se rápido, quebrando as coisas é o novo mandato.

“Os CIOs agora são responsáveis ​​por inovações de produtos e serviços que aumentam as receitas, aumentam a fidelidade e eliminam a concorrência”, diz Bhanu Singh, vice-presidente de desenvolvimento de produtos e operações da OpsRamp. “Acima de tudo, eles devem incentivar a tomada de risco calculado, especialmente em torno da tecnologia e dos ecossistemas disruptivos, para manter os negócios e a organização um passo à frente dos concorrentes”.

Todas as empresas devem repensar seus processos continuamente, diz Lightman, da CMU. Grandes corporações avessas ao risco devem procurar a TI para avaliar os desafios da inovação e como gerenciá-los.

“Pode haver muita interrupção no mercado dizendo às empresas que elas precisam assumir mais riscos do que poderiam”, diz ele. “A liderança em TI pode ajudar, avaliando e compreendendo todos os riscos e como mitigá-los.”

Fonte: https://cio.com.br/7-novas-regras-de-lideranca-em-ti/