futuro do trabalho no setor de TI

Cada vez mais novas tecnologias fazem parte do nosso cotidiano. No âmbito profissional, por sua vez, isso tem se acelerado ainda mais com o surgimento do novo coronavírus.

Com a imposição do isolamento social em vários países, inclusive no Brasil, as empresas estão se vendo obrigadas a adotar novos softwares que permitem manter a produtividade e a colaboração das suas equipes, mesmo remotamente. 

A transformação digital, que já era tendência há alguns anos, tem se acelerado nos últimos meses e já está se tornando uma realidade dentro dos ambientes corporativos. 

O profissional de TI, nesse sentido, é um dos mais atingidos por esse novo comportamento. Afinal, o mercado exigirá cada vez do seu preparo para manejar essa transformação.

Neste artigo, falaremos sobre as principais tendências sobre o futuro do trabalho e traremos algumas habilidades que os profissionais de tecnologia devem adquirir para aproveitar as novas oportunidades do mercado.

Confira!

Como será o futuro do trabalho?

Sem dúvidas, essa é uma das perguntas mais comuns no cenário em que estamos vivendo. Afinal, se as empresas conseguiram se adaptar ao trabalho remoto, e isso, inclusive, trouxe benefícios a elas e seus colaboradores, por que não manter essas adaptações?

Por exemplo: já que boa parte dos colaboradores estão produzindo até melhor dentro de casa, por que manter a locação de edifícios enormes quando apenas um andar pode ser suficiente? 

De modo geral, alguns pontos já são certos. A automação promovida pelas empresas nesse período irá exigir adaptabilidade, tanto para o empregado quanto para o empregador. Além disso, a chave de condução dessas novas implantações deverá passar pelo profissional de TI.

Diante deste novo cenário, é preciso sair na frente. Mesmo após o fim do isolamento social, muitas mudanças vão ser adotadas no cotidiano corporativo. Por isso é necessário buscar por treinamentos e requalificações para suprir as novas exigências do mercado. 

Habilidades que o profissional de TI deve desenvolver para o futuro do trabalho

Um bom profissional que trabalha no setor de tecnologia leva consigo suas experiências relacionadas às suas habilidades técnicas, ou hard skills, como são chamadas.

Por outro lado, contar apenas com esse tipo de conhecimento pode não ser suficiente para alcançar as novas demandas que o mercado de TI trará.

No atual cenário, é preciso investir também nas soft skills. Ou seja, nascompetências que definem o comportamento e a personalidade do profissional.

As soft skills, como aptidões emocionais, sociais e mentais,preparam o colaborador para fornecer soluções ágeis e eficientes aos problemas que surgem. Elas, por sua vez, são habilidades que, além de conhecimento técnico, exigem que o profissional desenvolva capacidades de interação. 

No contexto das soft skills, quatro características específicas se destacam entre os profissionais mais preparados para futuro do trabalho. São elas: comunicação, colaboração, adaptabilidade e pensamento estratégico.

Confira abaixo cada uma delas.

Comunicação e colaboração

Hoje, seja qual for a profissão ou cargo do colaborador, as competências de comunicação são fundamentais. Buscar melhorar suas relações interpessoais, portanto, é caminho para se qualificar às novas vagas.

Segundo pesquisa da CareerBuild, inclusive, entre dez soft skills, 56% das companhias disseram que a “comunicação efetiva” é a principal competência analisada nos candidatos.

Definitivamente, as tecnologias de automação estão cada vez mais presentes no cotidiano corporativo. Diante disso, robôs inteligentes passarão a ser responsáveis por boa parte da rotina antiga.

Por outro lado, essa conectividade em franca expansão cria desafios para as equipes. A comunicação, por exemplo, ganha, mais do que nunca, um viés estratégico.

Em outras palavras, a comunicação durante esse movimento de transformação digital vai além dos números e algoritmos e, através de conversas colaborativas, assume o papel de fortalecer a missão e os valores da empresa.

Adaptabilidade

A capacidade de adaptação é indispensável para que o profissional de tecnologia se mantenha bem posicionado no atual mercado tão volátil.

Para se ter uma ideia do impacto da transformação digital nesse mercado, um estudo recente realizado pela consultoria McKinsey provou que 56% dos novos cargos disponíveis correspondem a funções recém-criadas.

Felizmente, mudanças também trazem consigo grandes oportunidades. Hoje, ser adaptável já faz parte da rotina do profissional de TI. Assim, aqueles que conseguem desenvolver melhor essa soft skill, são alocados em grandes projetos do mundo todo. 

Bem como a comunicação, a adaptabilidade deve ser vista como uma necessidade para o novo profissional de TI, o qual deve buscar com novas soluções que entregam resultados além do esperado. 

Não tenha dúvidas que o colaborador que adquirir competências, como criatividade e agilidade, para sugerir novas maneiras de utilizar e desenvolver tecnologias em prol do desenvolvimento da companhia em que atua, será mais valorizado no mercado de trabalho.

Pensamento estratégico

O colaborador que entende a importância de se comunicar com clareza, de agir colaborativamente com sua equipe e se adaptar às necessidades do mercado, já carrega consigo um pensamento estratégico a respeito do futuro do trabalho. Entretanto, é preciso ir além.

O profissional deve ter uma atuação holística para gerar valor à organização. Afinal, antes considerada apenas um setor de backoffice, a área de TI assume papel primordial nas companhias, devido a sua missão de desenvolver um sistema inclusivo e de incentivo às inovações sistemáticas. 

Na prática, a rotina do novo profissional do TI se resume a elaborar projetos que estimulem a transformação digital, integrar diferentes setores e estruturar uma equipe qualificada para colocar essas missões em prática.

Todas essas e outras atividades do cotidiano desse colaborador, portanto, devem ter foco no dinamismo e proatividade para que, finalmente, a empresa cumpra seu papel e aumente a satisfação do cliente dentro de um cenário extremamente competitivo.

4 Carreiras que estão transformando o setor de TI

Com o futuro do trabalho sendo impactado por novas ferramentas de automação, o melhor a fazer é se preparar adequadamente. 

Para tanto, o ideal é se antecipar às profissões que estarão em alta. Por isso, separamos informações sobre alguns dos cargos mais procuradas no atual cenário: engenheiros de IA, cientistas de dados e analistas de BI.

Engenheiro de Inteligência Artificial

A inteligência artificial está cada vez mais presente na vida dos consumidores e, consequentemente, no dia a dia corporativo.

Um estudo da Gartner, inclusive, mostrou que o número de empresas, que implantaram IA em seus processos, aumentou 270% nos últimos quatro anos.

Não à toa, em 2020, as buscas por profissionais qualificados para atender a essa demanda continua crescendo.

Nesse cenário, os candidatos devem ter conhecimento em:

  • Machine learning;
  • Processamento de linguagem natural;
  • Integração de IA;
  • Programação de aplicativos de IA;
  • experiência em gestão de mudanças.

Quem tiver essas qualificações, mais as soft skills citadas acima, conseguirá se adequar ao novo mercado de trabalho. Afinal, a tendência é que esse perfil seja ainda mais desejado pelas grandes empresas.

Dessa forma, você, como profissional de TI, não pode ignorar essa nova carreira se quiser se destacar no mercado de trabalho.

Desenvolvedor mobile

Acompanhando as tendências do comportamento do consumidor digital, o mercado vê os investimentos em aplicativos móveis crescer exponencialmente.

Desenvolvedores móveis, por sua vez, atentos a esse cenário e responsáveis por projetar, desenvolver, instalar, testar e fazer manutenções nesses sistemas, encontram uma série de novas oportunidades.

Por outro lado, as empresas também passam a ser mais exigentes quanto a contratação desses profissionais de TI.

Se antes, esses especialistas em codificação, design e construção de sites e aplicativos, precisavam apenas saber sobre linguagens de programação, hoje as habilidades exigidas vão bem além disso.

Desenvolvedores web, que desejam se destacar, precisam estar atentos à satisfação do consumidor. Estudar experiência do usuário, nesse sentido, é a melhor maneira de pensar o cargo de maneira estratégica.

Confira as principais habilidades que qualificam esse profissional: 

  • Conhecimento em linguagens de programação (C#, C++, HTML, Java, Microsoft .NET and SQL Server);
  • Desenvolvimento UX;
  • Conhecimento das leis e regulamentos;
  • Experiência com servidores, backup, aplicação de patches e atualização

Enfim, o colaborador que deseja seguir carreira como desenvolvedor mobile deve saber que seu cotidiano de atividades está diretamente relacionado às capacidades que são destaque no futuro do trabalho.

Na prática, fora o conhecimento técnico o profissional deve se atentar ao comportamento dos clientes. Ou seja, apenas treinando suas habilidades de comunicação, o programador conseguirá criar uma aplicação de sucesso.

Cientista de dados

Com a importância de se manterem competitivas, as empresas estão concentrando ainda mais esforços na análise de KPIs. Nesse sentido, a demanda por cientistas de dados também aumentou.

Uma vez inseridos no cotidiano corporativo, esses profissionais auxiliam na coleta, armazenamento, classificação e análise dos dados.

Além disso, por boa parte dessas informações serem confidenciais, é importante que esse colaborador de TI também invista seu tempo em segurança da informação.

Dependendo do cargo e tamanho da empresa, candidatos graduados e pós-graduados em ciência da computação, com ampla experiência na área, são os mais visados.

Para também se destacar nos processos seletivos para cientistas de dados, além da comunicação e adaptabilidade, desenvolva as seguintes habilidades:

  • Coleta e processamento de dados;
  • Capacidade analítica para tomar decisões a partir das informações coletadas;
  • Dominar linguagens como Java ou Phyton.

Conclusivamente, o perfil analítico deve predominar entre os cientistas de dados. Por outro lado, como consequência, a adaptabilidade também será uma das características mais observadas por recrutadores.

Isso porque, lendo números diariamente, esses colaboradores se destacam quando assumem a responsabilidade por tomar decisões capazes de inovar processos, mesmo sob novas circunstâncias.

Analista de BI

Os analistas de business intelligence também estão no foco principal da transformação digital.

Afinal, nos processos de melhoria contínua, esses profissionais assumem o protagonismo, visto que seu papel é tomar decisões que refletem diretamente no desenvolvimento corporativo.

O profissional de TI que pretende trabalhar como analista de BI deve dominar tecnologias de banco de dados e ferramentas de relatórios.

E, com um perfil mais técnico do que o cientista de dados, o profissional de business intelligence também deve exercitar continuamente sua capacidade de compreender métricas e comunicar as necessidades de um negócio se reinventar.

Por fim. os candidatos, geralmente graduados em engenharia ou ciência da computação, precisam desenvolver as seguintes competências:

  • Experiência com banco de dados;
  • Capacidade de fazer processamentos e análises online;
  • Habilidades para escrever códigos;
  • Boa capacidade de escrita e comunicação.

Seja para essa ou qualquer outra das carreiras citadas acima, se você trabalha ou deseja trabalhar com TI, saiba que o futuro já invadiu sua profissão e o mercado exige o seu preparo.

Então, se você quer saber mais sobre como alavancar sua carreira, continue navegando no blog da Conquest One e confira muito mais dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *